Notícias

Contratação de ERP é mais do que software: é serviço e inteligência


19 Abr, 2018

Image


A adoção de um software de gestão (ERP, na sigla em inglês) é um passo crucial para o negócio. Uma empresa profissionaliza, automatiza e otimiza operações ao aderir a esta tecnologia, e isso se traduz em ganhos de produtividade, controle, redução de retrabalho, melhoria na condução de tarefas e equipes, gerenciamento e organização comercial e, por consequência, lucro.

E o principal movimento desta decisão está exatamente em seu marco zero: a escolha do ERP. Pensar que esta opção depende apenas da qualidade do software é um engano. Os recursos oferecidos pelo sistema, sua credibilidade, seu poder de atendimento às demandas da empresa e até mesmo seu preço são diretamente ligados à experiência de uso que ele proporcionará, e neste quesito pesa muito o serviço agregado, a inteligência empregada ao processo, o fator humano na execução do projeto – desde o entendimento das necessidades até a efetiva implantação da solução e a virada da chave para começar a usá-la.

A consultoria deve acompanhar o software, começando pela pré-venda. É neste estágio que a empresa, seja ela fabricante do ERP ou parceiro integrador, entenderá a real demanda da empresa a ser atendida, podendo desenhar uma oferta adequada, destinada a sanar os gargalos do negócio com escopo, prazos e preço satisfatórios.

O entendimento das necessidades da empresa é fundamental para a definição do software a ser implementado – é preciso implantar a solução completa ou apenas módulos específicos para determinadas operações? Qual a urgência da entrada em funcionamento de cada módulo? Quais são os sistemas já existentes na empresa com os quais o ERP terá de “conversar”? Qual é o ambiente de dados do cliente e como o software poderá auxiliar no tratamento e utilização deste conteúdo? Quem serão os usuários do ERP, para que necessitarão dele e de que preparo precisarão?

Estas são algumas das muitas questões com que o consultor terá de lidar na avaliação de um projeto, permitindo-lhe fazer o mapeamento da demanda e desenhar a solução compatível.

Efetivada a venda, a consultoria entra no delicado campo da implantação. Inserir ou substituir um sistema de gestão em uma empresa é um processo complexo, que exige atenção e dedicação. Serão horas de desenho do melhor projeto, mais horas de execução do mesmo e ainda mais horas de análise sobre cada etapa para culminar em um trabalho de resultados positivos, que entregue um software funcionando a 100% de sua capacidade, alinhado às rotinas do cliente e, principalmente, sem gerar qualquer parada ou perda às operações do negócio.

“Virar a chave”, ou iniciar o uso do ERP, é um passo muito importante para qualquer companhia. E a parceria da consultoria neste momento é primordial para garantir uma transição tranquila, funcional, bem sucedida, sem qualquer trauma.

Pode parecer exagero, mas “trauma” é uma palavra adequada a este contexto, pois, caso não possua o acompanhamento adequado, a adoção de um ERP pode trazer sérios problemas à empresa contratante. Um projeto mal desenhado resultará na compra de um sistema pouco adequado às demandas reais, ou em investimento além do necessário, incluindo funções pelas quais o cliente pagará sem utilizar. A implantação não atendida por um bom serviço de consultoria certamente passará por problemas, dificultará o atendimento de prazos e o alcance de metas, culminando em prejuízo à experiência do usuário.

E falando em usuário, a consultoria é também importante no pós-venda, no momento do suporte. O cliente precisa de acompanhamento não apenas no processo de instalação do software, mas também, e principalmente, ao longo de seu uso. Não raro, queixas de usuários quanto ao sistema são, na verdade, falhas na utilização do mesmo, e podem ser solucionadas com a aplicação de treinamento, auxílio no melhor entendimento das funcionalidades, prestação de esclarecimento sobre todas as dúvidas que surgirem.

Capacitar o usuário a operar o software é tão imprescindível quanto implantá-lo de maneira correta. Estar ao seu lado ao longo de sua experiência com a solução é fundamental para garantir que o sistema seja utilizado em toda sua capacidade, sem falhas originadas de mau uso que podem resultar em perda para os dois lados – do cliente e do fabricante ou integrador.

A consultoria é item básico do início ao fim do projeto de um ERP. Por isso, os prestadores deste serviço precisam ser excelentes, o que determina também a importância de o fabricante contar com profissionais qualificados para isso. Capacitar, especializar consultores próprios ou recursos de parceiros integradores é ponto básico para que uma estratégia de venda e implantação de sistemas de gestão seja bem sucedida.

O serviço agregado ao produto software de gestão é fundamental. Compreender isso e investir em consultoria no momento da decisão por um ERP pode ser o divisor de águas entre um investimento certeiro, que irá mudar a forma como a empresa administra suas operações desde o backoffice até a frente de caixa, ou um desperdício de tempo e dinheiro em um sistema que não atenderá às expectativas.

Ter isso em mente é passo certo na direção do sucesso do projeto.

publicado por Daniel Pozza